Indies

[Preview] Grow: Song of the Evertree

Grow Song of the Evertree

Aqui temos uma mistura de gêneros verdadeiramente interessantes que pode ser amada por públicos diversos. Desenvolvido pela The Prideful Sloth e distribuído pela 505 Games, Grow: Song of the Evertree tem o potencial para cair nas graças de muitos jogadores. Porém, alguns pontos podem ser tanto positivos para alguns, como negativos para outros, como sua simplicidade.

Ao começar, os jogadores são apresentados ao mundo de Alaria, que tem a sua existência praticamente definida pela Evertree, uma planta extraordinariamente substancial que aloja vários mundos nos seus ramos. Bem, pelo menos era assim em tempos outrora. Agora, seu estado é preocupante, pois é simplesmente uma muda. No entanto, o protagonista é um Everheart Alchemist que pode, com sorte, restaurar a Evertree ao seu brilho anterior.

Os jogadores podem personalizar seus personagens, embora as opções sejam bem limitadas, o charme adorável do visual do game tornam a maioria dos looks bem atraentes. O mundo em si também é uma delícia de explorar, graças a esta escolha de design, me peguei em muitos momentos girando a câmera para apreciar a paisagem ou me posicionando para tirar uma print, uma vez que o modo foto é bem divertido, contendo até a possibilidade de deixar o personagem em algumas poses.

Grow faz um trabalho maravilhoso em dar as boas-vindas aos jogadores com esses pontos mencionados ao lado de NPCs amigáveis ​​e tutoriais apresentados de forma gradual. Há um esforço inconfundível aqui para fornecer um local relaxante, independentemente dos conflitos que devem ser enfrentados em última instância.

Em termos de jogabilidade, existem várias atividades para cuidar, como explorar e reunir materiais, conversar com NPCs e cumprir missões. Jardinagem também é destaque e pode ser recompensadora dependendo das expectativas que os jogadores têm de seus sistemas. Ainda assim, para aqueles que são jardineiros excepcionalmente experientes em outros jogos, a mecânica em Grow pode não ser suficiente para mantê-lo entretido, aqui é tudo realmente muito simples!

Por exemplo, uma das habilidades que você adquire rapidamente é acelerar as sementes até o limite da maturidade total com uma música. Isso remove um vasto elemento de paciência que alguns podem considerar gratificante. No entanto, como não sou totalmente expert no gênero agrícola, me diverti bastante e acredito que principalmente aqueles com pouca ou nenhuma experiência com esse tipo de jogo terão aqui um bom ponto de entrada. Mas também acredito que os fãs adeptos das tarefas gerais encontrarão muito o que melhorar.

Existem masmorras e outras áreas semelhantes para explorar, que são ligeiramente agradáveis ​​de visitar. Quebra-cabeças simples e ocasionais estão repletos de materiais a serem coletados, e eu achei esse elemento do loop de jogo muito mais satisfatório. Além disso, existem vários outros elementos notáveis, como personalizar e gerenciar uma cidade, há muito o que fazer. Embora existam muitas tarefas para manter os jogadores ocupados, muitas parecem bastante superficiais, embora suas complexidades possam se tornar mais evidentes à medida em que o jogo avança, criando um progresso no nível de dificuldade e entrega de possibilidades e escolhas ao jogador.

Em termos de desempenho, Grow foi bastante satisfatório, eu pessoalmente não gosto de jogar games que ainda não foram lançados, tenho péssimas experiências com crashs e bugs, mas apesar dos alertas ao enviar o game para análise, não me deparei com nenhum bug grave que me impedisse de progredir ou mesmo crash, até os controles em teclado e mouse que foi claramente alertado não utilizar porque ainda está passando por ajustes, funcionou perfeitamente assim como com controle (dualshock 4), mas há sim alguns contratempos que precisam ser resolvidos.

Concluindo

Grow: Song of the Evertree é o tipo de jogo que parece feito para aqueles que desejam a alegria da criação e exploração sem muitas das complicações que surgem na grande maioria dos jogos do gênero, e não há nada de errado com isso. Os jogadores só precisam saber o tipo de aventura antes de mergulhar nela. Concluo dizendo que Grow é um jogo lindo visualmente, relaxante de jogar, focado na história e com um sistema agrícola casual, ótimo para quem está começando ou mesmo aquele jogador experiente que quer só dar uma pausa na complexidade.

NÃO DEIXE DE CONFERIR MAIS REVIEWS AQUI OU NA NOSSA CURADORIA NA STEAM.

Mais recentes

To Top