Indies

Análise de Death’s Door, exemplo de perfeição na simplicidade

Deaths Door

Death’s Door não só não estava no meu radar (na real nem tinha conhecimento do mesmo), nem solicitei o game para o pessoal da Devolver Digital, eles simplesmente me mandaram e eu pensei, porque não, o visual é legal, vamos dar uma chance. Iniciei o jogo para testar, e o que seriam 15 minutos, se tornaram facilmente horas. Confesso que foi difícil ir dormir e trabalhar no dia seguinte com o jogo ali a um clique de distância.

O pessoal da desenvolvedora Acid Nerve (criadora do Titan Souls) conseguiu criar um jogo profundo e envolvente, que ao mesmo tempo mantém toda uma simplicidade. Eles construíram um mundo sem muitas firulas. O combate te coloca em situações intensas, mas sem te sobrecarregar com opções ou mecânicas complexas. Death`s Door é o exemplo de perfeição na simplicidade.

O mundo de Death`s Door é repleto de burocracia e papelada. Você é um corvo que trabalha como ceifador. O jogo inicia com o nosso querido corvinho indo de ônibus para o escritório, batendo o ponto para fazer o próximo trabalho enquanto seus superiores mal o reconhecem, nada parecido com a nossa realidade. Isso é uma boa introdução ao personagem, o jogo se inicia parecendo ser um filme noir, mas quando você entra no mundo dos espíritos, as cores se destacam de uma forma agradável sem destoar muito do ambiente noir que foi trazido da introdução.

Design

O design dos níveis é simples e ao mesmo tempo tem sua complexidade, com ligações e passagens secretas. O jogo te recompensa e muito pela exploração, o fato de não ter um mapa ajuda ainda mais nesse quesito, porque as idas e vindas forçam o jogador a memorizar os caminhos e lembrar dos que foram deixados para trás. Em alguns casos há uma mudança dramática no ângulo da câmera para apresentar a você um fragmento oculto que pode aumentar sua reserva de vida ou mana. Esses momentos acontecem com frequência para os mais exploradores e são sempre muito gratificantes. Várias vezes encontrei a área para a qual a história estava me levando, e tive que voltar porque havia um caminho que ainda não tinha explorado. Death’s Door foi projetado para induzi-lo a procurar mais, até porque é muito rápido explorar todo o cenário.

Combate

O combate em Death’s Door se divide entre corpo-a-corpo e habilidades de longo alcance. Seu ataque de espada, bem como seu ataque de arco e flecha são rápidos, mas podem ser carregados para um golpe mais forte. Há também uma esquiva rápida que funciona bem para evitar o ataque dos inimigos. Essas mecânicas básicas são usadas contra os inimigos comuns, mas também contra os grandes chefes que são altamente detalhados e testarão suas habilidades, principalmente em decorar padrões para esquivar e atacar no momento certo. O design dos chefes é de encher os olhos. Chefes como mini catedral com tiro a laser, jarra explosiva gigantesca que lança bruxa parecem impensáveis, mas até parecem fazer sentido ao serem apresentados … ou não.

Para adicionar mais opções à espada ou arco com o qual você começa, magias e um gancho são adicionados para realmente aumentar a variedade do combate. O gancho pode ser usado para transpor locais específicos, mas também para ir em direção aos inimigos rapidamente. A magia atua como outro projétil, assim como o arco. O combate é ótimo e tem um bom ritmo, o jogador só precisa de reflexos rápidos e tempo para progredir. Raramente existem picos de dificuldade que não consiga superar aprendendo os padrões dos inimigos e realizando esquivas no tempo certo.

Upgrades

Existe em Death`s Door um sistema de atualização chamado Soul Vault que permite adicionar mais ataques mágicos, esquivas mais rápidas e ataques mais fortes ou mais rápidos em troca de almas inimigas coletadas. É um sistema de atualização mínima, mas que em um jogo onde a precisão é o que separa o sucesso do fracasso, qualquer ajuda por menor que seja é muito bem vinda.

Música

A música é bem orquestrada para combinar com cada ambiente e em muitos locais fazem seu coração disparar. A trilha sonora de Death’s Door fornece uma ênfase fantástica para a ação na tela. 

Conclusão

Death’s Door é uma obra de arte, desde o visual, passando pelo combate rápido e fluido até a trilha sonora espetacular. Um jogo extremamente simples, porém com detalhes em cada esquina e por isso mantém o jogador querendo explorar cada vez mais. Death’s Door está na minha lista de indies marcantes. Provavelmente para muitos jogadores estará presente na lista de jogos do ano em 2021.

Jogo analisado no PC (steam) com código fornecido pela Devolver Digital.

NÃO DEIXE DE CONFERIR MAIS REVIEWS AQUI NO NOSSO SITE OU NA NOSSA CURADORIA NA STEAM.

https://store.steampowered.com/app/894020/Deaths_Door/?curator_clanid=35090000

Gameplay dos primeiros momentos de Death`s Door

Mais recentes

To Top