Reviews

Dandy Ace: Análise desse roguelike brasileiro, engraçado e divertido

Dandy Ace

De maneira discreta a Mad Mimic Interactive lançou um rogue-lite, mas como se destacar em meio a títulos tão bem sucedidos como Hades e Dead Cells? Dandy Ace se junta aos jogos que desfrutam de uma base de fãs que procuram uma experiência de jogo punitiva. Mas como se destacar em um gênero recheado de bons jogos? Tipicamente os jogos são marcados por histórias e estéticas sérias e sombrias, correto? A Mad Mimic decidiu seguir com uma estética meio estilo Persona e uma história bem engraçada e descontraída.

Primeiros minutos de gameplay em PT-BR

A História de Dandy Ace

Dandy Ace é um mágico, e tem um rival feroz (que nem mesmo ele tinha conhecimento), o malvado Ilusionista de Olhos Verdes, Lele. Dandy se encontra preso em um espelho amaldiçoado em constante mudança. Separado de seu baralho mágico de cartas, Dandy deve atravessar o espelho amaldiçoado, encontrar cartas ao longo do caminho e usar essas cartas para derrotar as criaturas e chefes que chamam o espelho amaldiçoado de casa. E embora Dandy nunca realmente morra se falhar em sua missão de escapar, ele se encontrará de volta onde começou a enfrentar uma experiência inteiramente nova. Ótimas justificativas, simples e sensatas para tudo que acontece no jogo.

Mecânicas

Em Dandy Ace, as cartas que você coleta e encontra enquanto atravessa o palácio do espelho amaldiçoado servem como suas habilidades. A qualquer momento durante o jogo, você pode trocar suas cartas por novas que encontrar, semelhante a trocar armas em Dead Cells quando encontra novas. Um diferencial em Dandy Ace é a capacidade do jogador poder usar as cartas não apenas como habilidades primárias, mas como acréscimos passivos às suas habilidades ativas. É dessa forma que você pode dar a si mesmo habilidades que envenenam um inimigo ou explodem em bolhas que infligem dano. Embora no geral o sistema de cartas seja muito simples, também é surpreendentemente complexo, uma vez que oferece centenas de combinações diferentes e exclusivas para uma barra de ação com apenas quatro slots ativos.

Os mapas de também estão cheios de complexidade em Dandy Ace. Semelhante a outros roguelikes, você se moverá entre seções, com os caminhos bloqueados até derrotar todos os inimigos que surgirão na área. A variedade de inimigos é muito boa e conforme você avança sem morrer, os inimigos ficam mais difíceis de derrotar e seus movimentos se tornam mais complexos e difíceis de evitar. Você também encontrará áreas bloqueadas que exigirão chaves para entrar, promovendo a exploração do mapa, pois essas áreas geralmente contém um baú que recompensa uma nova carta ou moeda.

Roguelite

Tal como acontece com os jogos deste gênero, a morte virá com frequência e sem muito alarde. No entanto, conforme você avança, você gastará moedas para desbloqueios permanentes, muitos dos quais farão as próximas jogadas parecerem um pouco mais fáceis. Cada derrota serve como um passo incremental para a vitória e é executada de uma forma que faz você voltar para mais. A morte não parece o resultado de uma mecânica ruim ou injusta.

Dublagem em Dandy Ace (pt-br)

A dublagem é um show à parte e faz parecer que você está assistindo a uma peça teatral, com diálogos bem marcados e encenados, dando ainda mais personalidade ao game e tornando a experiência ainda mais marcante.

Conclusão

Dandy Ace é em minha humilde opinião o melhor roguelike brasileiro da atualidade. Tão bem polido quanto os jogos roguelike mais populares que conhecemos hoje. Uma pena o jogo não ter a popularidade que merece, porque sem dúvida todos os amantes do gênero roguelike iriam se divertir jogando Dandy Ace.

Jogo analisado no PC (steam) com código fornecido pela Mad Mimic e NEOWIZ.

NÃO DEIXE DE CONFERIR MAIS REVIEWS AQUI NO NOSSO SITE OU NA NOSSA CURADORIA NA STEAM.

Mais recentes

To Top